Garotas de Programa Contam Experiências Boas e Ruins com Clientes.

Uma garota de programa nem magra nem gorda, tem os cabelos quimicamente lisos e exala desencanto. Ela não se ilude: “Eu sei que não tenho cara de puta ou de prostituta, mas preciso ganhar dinheiro”, diz.

Em cerca de oito anos trabalhando como garota de programa, por períodos intermitentes, ela descobriu que o importante é “despertar a fantasia do cara” deixar o cara feliz, fazer oque a mulher dele não faz em casa.

“Quem não tem corpão põe algo justo, curto, decotado, que dê ideia de ‘má intenção’, e os homens acham que é para eles. Vêm atrás. Sabe cachorro quanto persegue a bunda da cadela? Tipo isso.

Um dia, um cara me disse que preferia as não tão bonitas, porque elas eram mais esforçadas. Eu não ligo, não estou ali para receber elogio. Mas tem que pagar bem.” E quem seria o bom cliente, e o mau? “Ih, o melhor, pra mim, é o que paga bem e termina rápido porque pra quem conhece sabe que o trabalho não e fácil.

” Ela afirma que nunca vai se queixar de ejaculação precoce: “Isso é um problema da esposa dele. Ela é que pensa em longo prazo”, ri. Ela afirma que se considera “menos prostituta” que a mulher do cliente, “porque eu, pelo menos, tenho um preço”.

Ela e as outras entrevistadas para este post dizem cobrar entre R$ 400 e R$ 800, a hora.

Tipo penitenciária

Na entrevista umas das garotas contou que é casada com uma garota de programa, e eu quis saber se era razoável achar que as prostitutas tendem a se tornar lésbicas, em função da relação fria que desenvolvem com os homens.

Ela: “Em um trabalho como o meu, é bem melhor encontrar uma mulher quando você volta para casa.

Mas eu sou lésbica desde antes de começar na atividade”, disse ela, que naquela ocasião trabalhava como profissional do sexo há 28 anos e cobrava 350 reais por atendimento.

A tese de que muitas prostitutas tomam “nojo” dos homens por se relacionar mecanicamente com eles, e se tornam lésbicas.

Atração e confiança

Não era difícil, naquele ambiente, se apegar “de verdade” à protetora. “Eu estava chegando do interior, não tinha ninguém. Você se sente desamparada”, conta.

Outros fatores levam quase que inexoravelmente à relação lésbica: “O programa  mais valorizado pelos homens é o sexo com duas mulheres.

Todo mundo faz, porque pagam melhor, mas aí é melhor que seja com alguém em quem a gente confie, e por quem tenha atração, né?”

As garotas não têm vínculo com as casas noturnas, mas são muito bem recebidas em todas. Elas funcionam como chamariz de clientes dispostos a consumir.

Passam a noite circulando de casa em casa, em busca da que tem a melhor clientela. Embora estejam cansadas de se conhecer da noite, as moças não se dirigem a palavra.

Portam-se como concorrentes em um mercado selvagem: “Vale muito mais a pena anunciar em site.

Você investe R$ 450 num anúncio e logo fatura muito mais do que isso.

Mas eu ando sem dinheiro nenhum”, diz Francine, uma negra de voz suave e sorriso encantador.

Veja a nossa entrevista com a acompanhante

1 – O que você faz para manter a boa forma?

Malho diariamente e cuido muito bem da minha alimentação.

2 – Você é muito vaidosa? Consegue resistir a um espelho, aos cremes e maquiagem?

Sou muito vaidosa, não resisto a um espelho. Amo cremes e uma bela maquiagem.

3 – Você já fez plástica? Quantas? Onde? Precisava mesmo ou foi pela vaidade?

Fiz uma lipoescultura há 5 anos e coloquei silicone, porque acho lindo.

4 – Qualquer mulher consegue um bumbum perfeito como seu na academia ou isso genética?

A genética ajuda, mas se dedicar na academia é fundamental, os resultados não aparecem rápido, precisa de dedicação e tempo.

5 – Você cozinha bem? O que mais gosta de preparar?

Cozinho muito bem e amo minha comida, amo fazer Strogonoff.

6 – Porque você viaja tanto pelo Brasil? Como isso começou?

Amo viajar e conhecer novas culturas e cidades, começou faz uns 4 anos e nunca mais parei. Já conheço muito bem o Brasil!

7 – Quando está viajando, a vida é só trabalho ou você também se diverte? O que você faz?

Trabalho muito, mas também me divirto, adoro conhecer restaurante, shopping e conhecer as festas das cidades.

8 – Você fica poucos dias em cada cidade. Por que isso? Por que não ficar mais tempo?

Fico pouco, para deixar gostinho de quero mais 🙊

9 – Sexualmente falando, em qual cidade os homens te agradaram mais?

Amo SP, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, é difícil escolher só uma.

10 – Em qual cidade você ganhou mais dinheiro?

São Paulo, sem dúvidas.